Header Ads

Pornografia — Inofensiva ou mortífera?

Pornografia — Inofensiva ou mortífera?

Hoje há pornografia* em toda a parte, e parece que ela é bem aceita na sociedade moderna. Pode ser encontrada na moda, em propagandas, filmes, músicas e revistas, bem como na televisão, em videogames, celulares, tablets, sites e até mesmo em serviços de compartilhamento de imagens on-line. Cada vez mais pessoas em mais lugares consomem mais pornografia do que em qualquer outra época da história. — Veja o quadro “Fatos sobre a pornografia”.

Além disso, a natureza da pornografia mudou. A professora universitária Gail Dines escreve: “Hoje em dia as imagens são tão chocantes que o que era considerado pornografia pesada agora é considerado normal.”

Como você vê essa tendência? A pornografia é um passatempo inofensivo ou um veneno mortífero? Jesus disse: “Toda árvore boa produz fruto excelente, mas toda árvore podre produz fruto imprestável.” (Mateus 7:17) Que tipo de fruto a pornografia produz? Para saber, vejamos algumas perguntas básicas sobre a pornografia.

Como a pornografia afeta as pessoas individualmente?
O QUE OS ESPECIALISTAS DIZEM: A pornografia é altamente viciadora, e alguns pesquisadores e terapeutas até mesmo a comparam ao crack.

Brian,* que se tornou viciado em pornografia pela internet, conta: “Eu não conseguia evitar. Era como se eu estivesse hipnotizado. A culpa me fazia literalmente tremer e ter dores de cabeça. Eu me esforcei muito para parar, mas anos depois eu ainda continuava viciado em pornografia.”

Pessoas que se entregam à pornografia se tornam fechadas e muitas vezes mentem para esconder esse hábito. Não é de surpreender que muitas se sintam isoladas, envergonhadas, ansiosas, deprimidas e iradas. Em alguns casos, até mesmo desenvolvem tendências suicidas. “Eu me tornei egocêntrico e inconsequente”, diz Sérgio, que baixava pornografia em seu celular quase todos os dias. “Eu me sentia inútil, culpado, sozinho e desanimado. Tinha medo e vergonha demais para pedir ajuda.”

Até mesmo uma olhada rápida ou acidental em pornografia pode afetar a pessoa. Num depoimento diante dum comitê do Senado dos Estados Unidos, Judith Reisman, uma renomada pesquisadora sobre os efeitos da pornografia, disse: “As imagens pornográficas ficam gravadas no cérebro e causam alterações, criando uma memória bioquímica instantânea, involuntária, mas permanente, [que é] difícil, ou até mesmo impossível, de se apagar.” Susan, de 19 anos, que foi exposta a sites pornográficos, diz: “As imagens ficaram gravadas na minha mente. Elas aparecem do nada. Acho que nunca vou conseguir apagá-las completamente.”

CONCLUSÃO: A pornografia escraviza e devasta suas vítimas. — 2 Pedro 2:19.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.